Salsa

Petroselinum crispum

Provavelmente a única erva considerada indispensável pela maioria dos cozinheiros ocidentais, a salsa é uma erva bianual, versátil e robusta, originária da região do Mediterrâneo Oriental. Hoje é cultivada em quase todo o mundo onde o clima é temperado. A salsa-de-hamburgo, que é valorizada pela sua raiz e não pelas suas folhas, foi cultivada pela primeira vez Alemanha no século XVI.

Utilizações culinárias

 

A salsa é apreciada pelo seu sabor puro e fresco e é rica em ferro e vitaminas A e C. Utiliza-se em muitas partes do mundo para molhos, saladas, recheios e omeletas. Nas culturas anglo-saxónicas a sua utilização como condimento (excepto para o molho de salsa) em vez de simples guarnição é bastante recente. Adicione  salsa picada no final do tempo de cozedura para conferir um sabor refrescante aos alimentos. Raminhos fritos da salsa-frisada de cor verde-escura constituem uma excelente guarnição para o peixe frito. A salsa-de-hamburgo é utilizada em sopas e guisados, mas também pode ser escaldada e torrada ou então cozinhada de outras formas enquanto legume de raiz. É excelente com puré de batata.

Essencial numa série de misturas aromáticas tradicionais: ramos cheiros franceses, ervas finas e salsada; gremolata italiana  e salsa; e tabbouleh.

Vai bem com ovos, peixe, limão, lentilhas, arroz, tomate e a maioria dos legumes.

Combina bem com manjericão, louro, alcaparras, cerefólio, malaguetas, cebolinho, alho, erva-cidreira, manjerona e orégãos, hortelã, pimenta, alecrim, azedas, sumagre e estragão.


Salsa frisada

Excelente para guarnições, a salsa-frisada também confere um sabor leve e herbáceo e dá uma atractiva cor verde à maionese e a outros  molhos.

 

 

Salsa de folha lisa

 

Também denominada salsa continental ou salsa italiana, a salsa de folha lisa é a melhor para cozinhar e é a mais usada em toda a Europa e Médio Oriente.

 

 

Salsa de hamburgo

 

Cultivada essencialmente na Europa Central e Setentrional, a salsa de hamburgo não é mais difícil de plantar do que a salsa de folha. A raiz é muito parecida com uma pequena pastinaca ou,  quando é ocasionalmente redonda, com um aipo-rábano. O seu sabor situa-se entre o da salsa e do aipo-rábano, combinado com um leve travo a nozes. As folhas possuem um sabor e uma textura ásperos.

 

 

Notas de Sabor

 

A salsa possui um aroma ligeiramente picante, com um toque de anis e limão; o seu sabor é forte, herbáceo e apresenta uma ligeira nota apimentada. A salsa de folha lisa possui um sabor mais persistente e requintado do que a salsa frisada e uma textura mais fina. Ambas realçam os sabores de outros condimentos.

 

Partes Utilizadas

 

As folhas frescas são as mais usadas, mas os caules são óptimos para dar sabor aos caldos; a salsa de hamburgo cultiva-se devido ás suas raízes.

 

Comprar e Guardar

 

Compre salsa fresca em molhos grandes; guarde-a no frigorífico embrulhada em plástico. Deite fora os raminhos que tenham um aspecto viscoso e a salsa deverá conservar-se durante 4-5 dias. A salsa pode ser picada e congelada em pequenos recipientes ou em tabuleiros de cubos de gelo com um pouco de água. Não compre salsa seca.

 

Plante Você Mesmo

 

As sementes de salsa demoram algumas semanas a germinar, mas deixá-las de molho em água quente de um dia para o outro vai ajudar a acelerar o processo. Plante no solo e corte as mudas quando estas estiverem suficientemente grandes. Cultive sementes todos os anos, para que quando um grupo de plantas atingir o seu segundo ano de sementeira, uma nova colheita esteja pronta a ser utilizada. Apanhe a salsa a partir do final da primavera.